Ainda tu

Caminhei apressada e cansada. Estás tão presente! A manhã cinzenta, amuada, sem vontade. Já chuvisca. Cheiro de calçada molhada, bom cheiro. A chuva vai descer forte. Gosto. Penso em ti obsessiva: estás inteiro, sem desvios, ah! tuas narrativas que invadem a casa! Ficas ao meu lado, ocupas todo o espaço. Eu me atrapalho, é pequeno meu lugar aqui. Ocupas espaço físico quando me escreves. Assim eu te sinto. Se as coisas viram / se transformam e agitam, somos nós dois. Perturbas o dia com a sensação certa/completa/exata da tua sedução. Sinto teu cheiro, e tens o meu nas tuas mãos. Sim. Deve ser o cheiro a perturbar. Penso no mundano, no social. As pessoas arrancam horas preciosas de intimidade: precisamos delas para nos descobrir. Olhar e ser no silêncio. Pessoas são exercício complicado. A terapia tem espelho e o prazer da escuta, voz. Eu gostei. Recorri em momentos difíceis. Santa Cruz do Sul, depois em Porto Alegre, outra vez, sempre para tentar me livrar das dependências emocionais, precisar menos e menos das pessoas. Deveria fazer como tu estás fazendo, recomeçar com o amor a si próprio. Tentar outra vez, treinar esta coisa de falar, ou me permitir… Tenho apreendido contigo. Aliás, acho que sempre te amaste muito ( é bonito te saber), percalços, outra história. Quanto ao dinheiro. Eu tenho diferente relação com o dinheiro. Tu sabes o que é ter muito e muito e a liberdade. A fartura e o bom… de alguma forma estranha eu…, muito esquisita minha relação! Sou desprendida e gastadeira: dureza recomeçar do zero, mas com certa alegria de festa, a independência. Enlouquecida a trabalhar, e foi bom. Talvez me libertar do casamento tenha sido a melhor parte. Dos pais. Do poder. Dizer não importa. Divagações. Sim. Conversar seria muito bom. Tenho medo de atropelar tua voz, e me engasgar. Digo melhor escrevendo, eu me afundo conversando. Engato uma primeira, quase arranco na segunda e acelero descontrolada. Pronto, sou só voz, e, minha ansiedade agitada atrapalha. O outro tem que pedir silêncio, tempo , voltar e ter firmeza. Esta coisa de conversar no vídeo, eu me acho horrível, e ou, estou de camisola (pra desgosto), céus! Quero tanto te olhar, mas sou uma desajeitada, não consegui ainda… Sei lá se podes imaginar… Deve ter uma boa explicação gostar de estar sozinha, ser sozinha e ponto. O telefone, tens o número, segue o mesmo, o número q dei pro neto ao fazer 8 anos (5 e 3) + o ano que nasceu…eu guardei. Dizem que projetei vida nele, as emoções todas. Netos significam continuidade, o espaço é deles / dá prazer proporcionar. Tudo um agora futuro. Amor brotando com generosidade. Ufa! A luta de viver! E agora te amar no tremor! E não estar! E contigo! Eu te espero! Demoras! Igual eu te tenho! Espero. Elizabeth M.B. Mattos – depois do silêncio de tanto tempo! Que estejas bem! – agosto de 2022 – Torres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s