Limousin

Ainda sobre a França. Não é verdade, mas aconteceu. Desci em Paris, e fiz tudo como precisava ser feito: pegar o ônibus, depois o metrô, e chegar no Bulevard Saint-Germain  antes de anoitecer. No outro dia caminhei, caminhei, e me perdi. De metrô achada, e perdida, outras tantas vezes. Não vi o que deveria ter visto, mas vi meus fantasmas todos. Vi o Sena. Certeza de que estar ali era parte do sonho, tão velho que foi tudo embaçado! Apenas senti que estava  na França, em Paris. De noite, sonhei com o pai e com a mãe juntos, em casa, na Vítor Hugo 229. Acho que já te contei isto. Não pude fazer um diário. Escrevi algumas cartas. Não comprei cartões, nem presentes. Não bebi todo o vinho que queria, nem vi Paris à noite. Revejo  neste momento a universidade de Limoges, a casa da Juliette, o cachorro enorme, a praça. Os amigos: Jean-Jacques. O almoço na beira rio. Livros. Museu. Caminhada. Igreja. Trabalho lento. Não vi tudo o que precisava ver, nem estudei o bastante. Conversei, olhei para o céu. Igual. Igual ao nosso. Nos campos a diferença. Campos de girassóis, ou flores, ou o calor, ou a limpeza, o cheiro das pessoas, os parques.  Também as montanhas de pedras amarelas ou rosadas. Conheci  a região Haute Vienne onde fica Limoges, a cidade da Universidade, Corrèze, Dordogne, Périgord et  Quercy : Domme, de Henry  Miller e Anaïs Nin….Henry Miller escreveu: Só num rápido olhar pelos rochedos escarpados por sobre o escuro e misterioso rio em Domme…vale por toda uma vida. Collonge La Rouge: edifiée de grès rouge, elle offre au promeneur des émotions architecturales brutes. Comme cette cité est petite…mais il y a une église romane superbe. Autour du village, quelques sentiers vous feront voyager dans ces paysages de chênes truffiers et de calcaire, de noyers et de châtaigniers.[1] É estar no campo, no centro do mundo: vi as cavernas… e Beynac- et – Cazenac, Souillac, e Sarlat (toda dourada comme Domme) que eu adorei (para querer voltar) com a sua feira atravessando a rua principal, os cafés, as ruas estreitas, becos, saídas, cantos, floreiras, encanto. Les campagnards, a fonte com água potável, a praça e o rio La Dordogne: a região ora um Van Gogh ora Seurat (sem os maillots listrados) – Dordogne et Périgord foram as regiões que eu conheci depois do Haute Vienne. Verão. Aqueci a alma num tempo que pareceu maior do que realmente foi. Vinte dias enormes, pesados, tensos e maravilhosos. Como explicar? Vivi. Emagreci um pouco. Voltei atordoada. É um jeito de contar?! Não sei. Foi tanto e foi pouco, mas quero voltar… Logo. Logo. Não fiz o caminho da peregrinação normal… Não fui ver Saint-Michel, na Bretagne, mas fui a Rocamadour: un des hauts lieux de la chrétienté. Cette merveille naturelle et spirituelle reçoit de pèlerins. Le site est fabuleux. Il y a la forêt des singes et le rocher des aigles. Le paysage, la vierge noire et le souvenir de l ‘épée de Roland, “Durandal”, qui fut conservée en ces lieux jusqu’à ce que  Henri Court Mantel, pendant la Guerre de Cent Ans, vienne piller ce lieu saint, sont les attractions principales de ce deuxième  site de France, après le Mont Saint-Michel. Les grottes et les maisons abritent deux millénaires d’histoire, de miracles et de ferveur, et l ‘architecture s’en est  largement imprégnée. Rocamadour est à découvrir la nuit lorsque la lumière jaillit du paysage et lui donne un aspect fantastique presque irréel.[2] Fixei residência em Limoges, capital do Limousin (região), e tenho em cada passo a lembrança de uma vida campagnard.  É todo aquele pedaço de vida na fazenda.  Poderia morar no verde, certamente eu poderia.  Mas já estou em Torres. As baleias já chegaram. O calor veio. Mas hoje faz frio. O mar está limpo, e as calçadas vazias, como eu gosto. Um noite eu durmo, na outra fico penso. Quero mais para mim… Tanto eu quero! Voltar pra ver Paris que eu ainda não vi…


[1]  Le Guide Dardogne Périgord – Fanlac

[2]  Idem.p.244

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s