Sem explicar

2015-01-03 17.04.21

“T. tirou da geladeira um chá de cevada e o bebeu.

– Não consigo deter as vespas furiosas, mas, de você, acho que consigo cuidar. F. fitou. T. durante um tempo e disse:

– Você está diferente.

– No que estou diferente? F.  entortou os lábios num ângulo incomum, e depois os fez voltar ao normal. Ela não conseguia explicar.

– Não precisa explicar – disse T. Se você não consegue entender coisa alguma sem explicações, significa que continuará não entendendo, apesar das explicações.” (p.159)

(…) Ela me ensina alguma coisa. Ou tenta ensinar. É necessário existir esse tipo de imagem para as pessoas continuarem a viver. Uma imagem que possui um significado que não se pode explicar por meio de palavras. Há quem diga que vivemos em função do desejo de entender o que esse algo tenta nos dizer. É o que eu acho.” ( p.275)

“A vida de uma pessoa pode ser essencialmente solitária, mas nunca isolada. Em algum lugar sempre existe alguma outra vida que possui uma relação com aquela. Nesse sentido Aomame precisava assumir de algum modo a responsabilidade daquele ato.” (p.277)

1Q84 – ( volume 2 ) Haruki Murakami 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s