Diário 1Q66

images (2)

Citações e conversa / texto, esquisitos. Desgraça. Despedaçada mulher – personagem que se decompõe na dor de apenas ser a mãe. Diário de 1Q66.

Uma jovem mulher a lamentar-se de filhos belos, mordazes, e presentes. Envelhece por dentro. Amamenta, embala, sorri, e envelhece por fora também. Lacrimeja perdida. O tango? E o gosto do prazer partido.

Mauriac, Lorca, Turgueniev, Paulo Hecker Filho, Paulo Autran, Maria Della Costa. A beleza ultraja, transgride o talento. A beleza se transforma em escudo. Cria sombras. Maria Della Costa bela, genial, mas, principalmente, belíssima! A beleza abafa, ou se aperta. O poderoso estende a mão de midas, e sufoca ao mesmo tempo que acarícia.

Em paralelo,  o sofrimento sonha segredos intrusos usurpa o direito de ser apenas mulher. Maternidade escrava agravada como se para sempre fosse, apenas mater em idade. Palavra velada, ou vomitada…

A tragédia respinga, e o sofrimento se faz já ao café da manhã, com o primeiro cigarro. Pesado esforço para ser o que de fato já deixou de ser, alegria alegre… Inteligência equivocada. Emocional dividido, somos o que queremos, mas também o que não queremos.

Escrito solto num caderno azul que sobreviveu as mudanças. Devaneios, e confissões. Os casamentos nos consolam. Casamentos, bailes, e verões no ócio. Não foi a inteligência, nem a formosura que a livrou da solidão. Confusão que nos arrasta aos equívocos. Mundo paralelo. Beleza ou talento?

images (3)images (4)images (1)FOTOS BETH 016001 (3) - Cópia023 (2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s