Abandonada

Isabel sem possibilidade de preencher insatisfação, estupefação. O recôndito prazer burguês latente inviabiliza o sucesso. O mergulho na empresa, raso. Saltos altos, bons decotes, e sucessivas cirurgias plásticas qualificam a tarja. Brincos de falsas pérolas iluminam cobiça. Evidências desqualificam. O livro da moda, o chá gourmet, a torta de café, o chapéu de abas, o cobiçoso prazer estampa tristeza miúda. Bons vestidos. Corpo esguio, desfeito no jeito importado deste interior europeu bem brasileiro. Amores sacudidos por desvios. Não se trata de apaixonar, ou enamorar, mas o gancho fétido do açougue que promete carne nobre do animal sacrificado… O sangue pinga na bacia de alumínio, higiênica. Azulejos brancos, chão de mármore. A saliva escorre pelo canto da boca entre beijos.

Ruas estreitas, janelas fechadas. O piano dedilhado, e cerejeiras no parque.

Carrega desprezo, e raiva! Mas o sorriso se apresenta gentil e delicado! Habituada àquele modo de falar não se preocupa sequer em consolar. Coleciona pequenas anedotas que realimentam especulação, julgamento, e consolo.

– Você faz sempre o que dizem seus pais?  Não tem um modo pessoal de pensar?

-Talvez o tenha em demasia.

Debaixo daquela janela pode ser o começo, o lugar certo. Debaixo daquela janela pode ser abandonada. Omissão, ruptura, infortúnio. Ser ignorada, reconhecer limitações, debaixo de uma janela.

Lacunas preenchidas pelas folhas do cipreste. Omissões agudas cobertas pelo jasmineiro. E desejos ambiciosos escondidos no arbusto de buganvílias brancas. Deita na grama alta do jardim. Debaixo desta janela Isabel esconde a ganância.

Abandonada debaixo daquela janela, enjeitada…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s