Cordas do piano

Extenuada, cansada. Sensação de impotência. Gratidão porque escuto o céu e a noite. Desligo o mundo logo amanhece. Tudo parecia/ ia ser fácil. Fiz o meu melhor, penso. Preciso descansar. Como se faz para interromper inquietude/desencontro/aflição/ turbulência …  Quero horas inteiras para a preguiça. Um não fazer nada com vagar. O lado suave organizado e manso da vida prometida. Que chegue depressa o aconchego do embalo. Há de ser sempre exigente apenas respirar? Hoje estou cansada. Ontem também estava. Quero de volta a energia vital. Quero de volta a menina encantada. Quero outra vez o quintal com jacarandás. Posso confidenciar, mas por favor, estou cansada, exausta, traga rosas do jardim, esquenta o leite, e preciso da coberta perfumada, outro travesseiro. Senta ao meu lado, diz que amanhã vai ser mais fácil. Deixa eu ficar quieta. Deixa eu chorar com lágrimas. Lê o livro das AmorasAzuis desde o começo. Deixa o piano tocando. Pode ser Chopin Mozart Schumann se são cordas do piano, gosto. Beth Mattos

3 comentários sobre “Cordas do piano

  1. Olhei tua foto. Sei lá de que data, e me surpreendo com o que estamos a fazer enfiados nos comentários do Amoras, mais ou menos escondidos, mas tens razão, já na rede, os nomes se cruzam. Estremeci. Tens coisas importantes e sérias a fazer. Tens compromissos, convicções. Nos vestimos de meninos e nos esquecemos do tempo. Tu não sabes quem eu sou, nada tenho que lembre a menina jovem que um dia …. nem ouso repetir. Estamos fora da realidade. Nem podemos nos encontrar. Eu estou nesta fantasia azul das amoras, tu tens responsabilidade com mulher, saúde, filhos. O que faríamos de nós dois? Olhei a tua foto. Por um minuto ficaste vivo, carne e osso, não o jovem que emprestou um livro para a Tânia, conversou com a Suzana, ou esteve na casa da Vitor Hugo. Eu te deixei meu e mail, imaginei o encontro com o F.T. e eu a pensar, ficar indignada com bobagens, seguir nesta coisa de recados e textos e coloridos e cinzentos, choramingo. O que estamos mesmo a nos dizer?

  2. Nos cansamos porque o fardo às vezes pesa demasiado, é a vida.
    Quanto a ansiedade, inquietude, sofrimento, penso que com esforço e maturidade podemos minimiza-lo ,que já seria bom.
    Dias bons surgirão ao lado de dias tormentosos.
    Viva com o seu aprendizado, se conheça emocionalmente.
    Enfim se trate como amigo e aceite as coisas que não pode mudar na sua vida evna dos outros tantos!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s