bolsa vermelha

O luxo escandaliza. Vertiginosa corrida. Não penso. Nem  perco tempo. Esqueço o estar ou não estar. Tenho.

Vestígio evidente: sou planta, enraizada.  Terreno difere / altera floração, perfume. Dar ou não dar frutos? Detalhe. Sem terra vou morrer, devagar, todos os dias um pouquinho. Murcho. Cuidar importa. Podar alimentar e pacientar, nunca descuidar. O fruto pode ser o prazer máximo: sou eu e me recolho / ou encolho, sinto. Gosto de maçã, bergamotas, pêssegos e tâmaras, bergamotas, bananas, maracujás. Gosto do movimento inquieto do vento, do sol a secar e colorir. Elizabeth M.B. Mattos – agosto de 2019 – Torres: brilho cinzento do inverno e o frio atravessa o vidro.

linda na cadeira bolsa vermelha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s