constatar não é julgar

Enigmas da convivência da dita fala/narrativa confessional. Apontamento da voz amiga a escorregar com fatos pessoais, a dividir, não exatamente, a pedir opinião, apenas falar: fiz isso, fiz e aquilo. Entrei ali, caminhei por aqui, vi assim e assado… Desconcentrada da própria voz, do próprio gesto, ou tão concentrada num palco atento, imóvel, expectante. O teatro, quem são os atores sem a plateia? e vice-versa. A opinião chega apressada, engasgo o café. O que será que quer dizer isso? Imediatamente me ocorre que não importa a idade. Esbarrar no outro sexo, o desejo pulsante de se misturar sentimentos sobe até a gargante e sai num grito alegre em direção ao estar junto. Ativados sentimentos humanos e abertos e livres a qualquer momento. A dita, e maldita, solidão não funciona. Há que esticar a mão para tocar, trocar um beijo. Há que se banhar, perfumar e levar flores! Não importa se proibido ou permitido, se o sinal é vermelho, amarelo ou verde. Compulsão. Também aquele desejo de aproveitar desta ou daquela acolhida, deste ou daquele bom jantar, desta ou daquela festiva ocasião. O impulso para se jogar ao mundo, a este mundo transitório e rotativo extrapola qualquer palavra. Importa é fazer. E penso, o inverso, o recluso, o esquisitão que se consome nele mesmo, a misteriosa mulher das flores e dos espinhos. Também ela é compulsiva na sua forma de empurpurar, não ir, não fazer, não querer a multidão da praia, ou o vento risonho das praças, nem as pernas a balançar nas rodas de chá, nem aqueles almoços comemorativos a encerrar anos e anos de turmas necessárias, períodos a ser comemorados. Se escolhemos ter um par carregamos braços e pernas diferentes, ora os nossos, ora os do companheiro. Dividem. Partilham. Ideias ou compulsões, jeitos e trejeitos. E o sorriso de um já está no rosto de outro, e assim se assemelham… Engraçado! Partilham amigos, risadas, dias de raios e trovões ensolados! Ah! Que esdrúxula a vida de ser dois! Que perdida a triste a vida de ser um. Elizabeth M.B. Mattos 2020 TORRES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s