tragédia

Trágico acidente na estrada: juventude e fatalidade. Jeito esdrúxulo de dizer adeus, o que se ama e o que se rejeito se misturam. Não houve tempo para o adeus.

A morte do ídolo (triste, triste, triste, tão triste!) a morrer aos poucos… Consciente, devagar a se despedir, a chorar… Limite da tragédia. Beth Mattos – novembro – Que 2020 se apresse, galope, corra, acelere… Uma pausa azul, um sorriso de amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s