nada especial

Não parecia haver nada de extraordinário no que ela dissera, mas, para Liévin, que significado intraduzível em palavras se abrigava em cada som, em cada movimento dos lábios, dos olhos, e das mãos de Kitty, quando falou aquilo!

Justo esta droga de sentimento louco/fora do lugar e único identifica o estado de amor. Palavras sonoras, e os olhos respondem, voam. Tenho saudade desta voz. Deste tempo de te amar. Loucura de certeza ciumenta, fora do lugar. Loucura, e por isso, derramo as queixas incertas. Sublinho, repasso tuas palavras, e nelas teu rosto… Saudade dolorida, boa. Volto ao texto de Liev Tolstói em Anna Kariênina :

Havia ali um pedido de perdão, confiança nele, carinho, um carinho meigo, tímido, e uma promessa, uma esperança, e amor por ele, um amor em que Liévin não podia deixar de acreditar e que o sufocava de felicidade.” (p.382) Parte 4

Então, eu pergunto: o que eu fiz do meu rastro de amor? Elizabeth M.B. Mattos – novembro de 2020 – Torres quando interrompo o gozo / alegria da tua voz apertada! Cortei o tempo em fatias ansiosas, perdidas. E tanto desejei ir ao teu encontro, meu amigo.

Foto: Marina Pfeifer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s