vol voltar

Se o mundo está caótico / sempre esteve virado, avesso e exposto, com a doença, mas não posso parar. Se a culpa parece se descrever na violência dos cães ferozes, ferozes com a mesma ferocidade das relações humanas, não posso parar. Corrupção, adultério, estupidez, estranha campanha… O que vejo e leio, escuto e vejo, nada deve alterar meu fazer e o caminho, e a tal abençoada alegria ingênua, fazer melhor. Sem esconder a cabeça, sem entrar na caverna, mas proteger a esperança, o meu melhor. Acredito na paz, no coração gentil, e no amor das pessoas amadas. Quero voltar para casa. A casa onde a Beth existe e o meu fazer me aguarda. Estou longe, muito longe. As viagens desestabilizam. Espero que tudo retome o ritmo. Um ano, dois nesta agonia do sobe, desce, desvia, reinventa. Engessada, a degenerar. Não posso aguentar mais. Não posso seguir, chegou a hora de revirar a vida: quero ver filhos, netos e debruçada ajudar no possível. Nada estaciona…o movimento, revira e renova. Quero voltar para casa. Sim, vou reagir: casa é tranquilidade de lago. Elizabeth M.B. Mattos – agosto de 2021 – Torres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s