sem descanso

Alma, temeroso pássaro, / A toda hora perguntas: / Quando virá repouso, quando virá paz, / Depois de tanta luta? / Ah, eu sei: mal chegam dias sossegados, / Uma nova saudade já transforma / Cada caro dia teu em um tormento. // E, mal oculta no abrigo, / Vais procurar novos dissabores / E cheia de impaciência incendeias / O espaço como a mais nova estrela. Hermann Hesse TRANSFORMAÇÕES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s