A quietude do outro

A quietude do outro nos inquieta. Esta estranheza de ser dois que resulta sempre estupefação. Divisão, e até obstinação, enfim, equação. E eu nada sei desta aritmética.

“Cochila ou medita? Não posso saber, você está sempre quieto e sereno, todo o tempo. Anda, Michel, dê a partida para a viagem, estou pronta, tenho estado pronta há anos.”  (p. 232) Amós Oz, Meu Michel

Um comentário sobre “A quietude do outro

  1. Deixa-o quieto e não meça a estupefação , esta equação sentimental poderá ser explicado pela física quântica!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s